terça-feira, agosto 29, 2006

Ponto e contraponto


A morena Zanny Adairalba participou no final de semana de um evento promovido pela entidade Nós Existimos, que congrega diversos movimentos sociais. Zanny foi convidada para declamar uma poesia, mas a timidez não deixou.
Para suprir a falta de coragem de encarar o palco, convidou o músico George Farias para a leitura do texto.
George foi além e musicou o poema. Mas a morena não estava sabendo disso e tomou um susto ao ouvir a canção, a sua primeira composição mostrada em público.

A letra do poema é esta:

Vôo

Queria ser pássaro
Voar nas alturas
Romper as barreiras
Pousar nos lavrados
Planar sobre os campos
- Aroma de matos!
Subir as colinas
Banhar-me em seus lagos
Meus sonhos e encantos
Deixar na passagem
Ser ponto na imagem
De interrogação

- Que faz esta ave
tão livre no espaço
colhendo os pedaços
de tanta emoção?

- Que faz esta ave
de cor de alegrias
bailando nos dias
de minha canção?


Eu, para não ficar muito sério, dediquei ao seu poema estes singelos versos:

Queria ser menino
solto no campo
alegria no coração.
Queria ser menino
com boa pontaria
e um estilingue na mão.


(Zanny ficou deveras emocionada com a minha homenagem...)

Nenhum comentário: