sexta-feira, fevereiro 01, 2019

Diário de um mestrando - 12o mês

09.01.19 Quarta


Janeiro chegou foi cedo. Não tem isso de folga, curtição e não sei mais o que...E...não há felicidade nenhuma nisso, acreditem.

Bem, estamos na ativa desde a sexta ou ou sábado passados, logo após a professora Leila ter enviado um e-mail com as demandas finais para fechar o texto da qualificação. Inicialmente pensei em somente começar a trabalhar na segunda, que seria o dia 6, mas me analisei, olhei no espelho, medi a barriga e cheguei à conclusão de que, conhecendo minha lerdeza como conheço, o lance era adiantar pelo menos uma demanda por dia.

Deu certo.

Acho que deu.




O concreto é que ontem á noite mandei o material de volta para professora Leila olhar. Estando tudo ok, faltará só numerar as páginas do sumário e dar uma nova olhada na formatação, sobretudo nas partes referentes a entrelinhamentos.

Foi tenso, digo-lhes. Tenso. Ontem, por exemplo, trabalhei de manhã, tarde e noite. Li artigo, dissertação, anuário, Wikipédia, matéria de jornal, um monte de coisas para conseguir informações e transformá-las em algo semelhante a um texto científico.

Tenso. Bem mais tenso que trabalhar no meu expediente normal.

É claro que se eu fosse o filho do vice-presidente Mourão e ganhasse uma promoção como a que ele ganhou, não tava nem aí pro mestrado. Só ia lá na presidência para receber meus 38 mil do Banco do Brasil de boas.

Mas não sou. Então vamos estudar para ver o que de bom o estudo nos traz.

Ah, ontem quem me assessorou foi o Hulk. Se liga:


Anteontem foi o Dr. Destino.


Só boas companhias verdes.

Falando em verde, que lembra alface, que lembra coisa para comer, tava com o mente tão cansada que não resisti e fui ver bobagens bem bobagentas na Netflix. Encarei o engraçado "Orgulho e Preconceito e Zumbis" e fui até tarde com ele. Sim, curto filme de zumbis. Me julguem. Ou não. Deixa a Glória Pires aparecer e fazer isso na minha banca:


12.01.19 sábado


Teve encontro com a orientadora na quinta. Tava tudo só para olhar, acertar as arestas de formatação e já mandar a cópia do trabalho para os professores que vão compor a banca.

Era só isso.

Mas o programa de edição de texto teve um piripaque, tive que reiniciar o computador e o arquivo B do texto final, onde havia feito sumário, correções e outras coisas, sumiu. Não. Sumiu não. O arquivo ficou la, mas o conteúdo evaporou.

Fiquei muito puto. Ops, quer dizer, chateado. Por sorte era pouca coisa e nada que envolvesse novo conteúdo.

Na sexta de manhã arrumei, a profe retornou pedindo só duas paradinhas mais, devolvi e já marcou a data da defesa da qualificação: 20 de fevereiro de 2019, às 9h.


Estou muito aliviado de ter conseguido fazer esse material. Pensar e escrever cientificamente é extenuante. Me exige muito: tempo, concentração, esforço... É sofrido.

Bem, agora me dei a sexta, sábado e domingo de folga. Segunda começo a focar no artigo que falta fazer para aprovar de vez todas as matérias do primeiro ano. Também já fiz uma listinha de material que achei interessantes, mas não tive tempo para ler antes. A ideia é manter o pique.

Hoje chega uns amigos da Venezuela. Se abrir o céu é capaz de ter praia à tarde.

18.01.19 sexta

Então...não fiz nada semana passada. Só pensei em fazer, mas tava com visitas, ajudando-os a resolver coisas e não fiz o que é do meu interesse. A batalha vai recomeçar hoje, ora pois. São 10h57 e já fiz algumas coisas de organização, entre elas anotar o que devo resolver com urgência. Uma delas é a renovação do afastamento. Vamos para isso e para definir sobre o artigo que devo entregar logo, logo.

21.01.19 segunda


Só há uma certeza: não tenho noção ainda de como e o que vai ser desse artigo. De toda forma, hoje faço o básico: salvar um arquivo para começar nem que seja a ver a página em branco.


Vou me esforçar para que meu texto não fique assim...

22.01.19 terça 9h47

Ontem consegui fazer uma sinopse de minha nova proposta. Fiz também um roteiro da abordagem dos temas. A ideia era fechar, pelo menos, uma página hoje, mas não consegui fazer o cabo do computador mandar energia para o aparelho. Geralmente consigo, mas o mestre mesmo nisso é o Edgarzinho. Resultado: a bateria acabou e fiquei sem fazer nada. Uma manhã meio perdida, já que tampouco fui pedalar.



Passarinhos me acompanham a menos de um metro quase todo dia 


28.01.19 segunda

Dia de fazer as vezes de representante discente da turma 2018 do mestrado em Letras da UFRR. Cá estamos na sala 133 do bloco I do campus Paricarana...

30.01.19 quarta

A vida de um servidor público afastado para fazer um mestrado implica em estar ligado nas datas da burocracia estatal. A mais importante é a do pagamento, quando rola um f5 brutal no aplicativo do banco para ver se a grana caiu na conta ou se despencou em outro lugar. A segunda data mais importante é a que diz respeito ao momento de ir na universidade renovar sua licença, levando vários documentos. Eu havia esquecido desse procedimento. Por sorte anotei em fevereiro do ano passado que deveria fazê-lo. O google agenda não me deixou na mão.



31.01.19 quinta

Pense num mês comprido este janeiro de 2019. Foi tanta coisa pesada lá no mundo extra-mestrado que meu Deus... Brumadinho e suas mais de cem mortes até o momento, quase tudo o que o governo Bolsonaro anunciou ou decretou (facilitação da posse de armas entre isso), umas intenções ruins voltadas para as IFES, a crise Guaidó presidente encarregado - Maduro não vou sair daqui na Venezuela...Tudo isso me afeta e ando me poupando de expor opiniões nas redes sociais. No máximo, compartilho algo nos status e stories da vida. Não é ficar em cima do muro, é que não tô afim de ficar rebatendo e discutindo com os manés que acreditam, por exemplo, que há algo de bom no atual governo.

E esse passarinho fofo que não me larga? Ou será uma gangue de passarinhos?


São 21h43 e estou encerrando as atividades por hoje. Passei a semana toda pensando e escrevendo análises para o artigo da disciplina Arte, Cultura e Identidade. O prazo de entrega é dia 15 de fevereiro, mas quero fechar isso até segunda. Daí é só imprimir e passar para a professora.


E esperar uma nota boa, claro.


Líquidos para não morrer desidratado no verão de Roraima




Fevereiro terá uma data importante: dia 20 defendo minha qualificação. Tenho que montar os slides da minha apresentação e fazer a banca acreditar que, de fato, fui eu o cara que escreveu o que estão lendo. Tomara que consiga (tanto montar o PPT como não dar mancada com a banca).



Para quem chegou até aqui, fica o convite: clique aqui para ler todas as edições do Diário de um mestrando.

Nenhum comentário: